Vassilópita - Bolo de Ano Novo

O momento mais esperado para a maioria das crianças na comemoração de Ano Novo é o corte da Vassilópita.
Quem, quando criança, não ficou esperando com entusiasmo encontrar a tão desejada moeda em sua fatia?
Um costume de Ano Novo que é encontrado em toda a Grécia, a Vassilópita pode ser encontrada em diferentes tipos: em algumas regiões pode ser um bolo ou tsouréki (pão doce) em outras regiões pode ser uma torta de massa folhada doce ou salgada ou ainda um pão como o Xristópsomo (pão de Cristo). Outra característica que varia é o desenho de uma cruz e a escrita do número do ano que está chegando, porém o que é comum para qualquer Vassilópita é que ela é redonda e esconde “algo valioso” (uma moeda, por exemplo, é o mais comum).
A maioria dos gregos corta a Vassilópita logo após a virada do ano e em alguns lugares o costume é cortar no almoço, mas sempre seguindo o seguinte cerimonial: o dono da casa gira a Vassilópita sobre a mesa e espera ela parar, faz o sinal da cruz sobre a Vassilópita três vezes, depois corta as fatias sendo a primeira consagrada a Cristo, a segunda a Nossa Senhora e terceira a São Basílio, a quarta pertence à casa e as demais fatias são distribuídas para a família, em ordem de idade, começando pelo mais velho e o último pedaço é para os pobres. Em alguns locais, rurais em geral, corta-se também uma fatia para os animais e uma para a plantação. Aquele que encontra o “tesouro” é considerado o sortudo do ano e o dono da casa costuma dar-lhe também um presente ou um valor em dinheiro, daí o desejo das crianças de achar a moeda.
O costume da Vassilópita vem da época em que Basílio, o Grande (século IV) era o representante dos cristãos na cidade de Cesaréia, na Ásia Menor, e Juliano era o Imperador de Bizâncio. Numa de suas visitas à cidade de Cesaréia, Juliano pediu que lhe fossem servidos o que os cidadãos tinham de melhor, esperando receber jóias e presentes de muito valor. Basílio serviu-lhe três pães de trigo. É importante saber que, naquela época, o povo de Cesaréia era muito pobre e o maior valor que tinham era o alimento, ou seja, o pão. Juliano ficou furioso e depois mandou como presente três bolas de estrume. Basílio então agradeceu com a seguinte mensagem: “Como nos solicitastes, nós o servimos daquilo que temos e comemos, entendo que o mesmo fez o senhor. Obrigado.”. A resposta de Basílio enfureceu ainda mais Juliano que decidiu destruir Cesaréia. Assim, Basílio, na intenção de acalmar os ânimos de Juliano, pediu ao povo que doasse todos os seus pertences em ouro para serem entregues ao imperador. Pouco antes de enviar o presente a Juliano, Basílio teve um sonho em que Nossa Senhora enviava São Mercúrio e um exército de anjos para acabar com Juliano, este sonho provou ser uma visão da batalha que travava Juliano perto de Cesaréia na qual foi derrotado. Não sendo mais necessário presentear Juliano, Basílio decidiu devolver os valores, mas como devolver o bem certo à pessoa certa? Decidiu então fazer pequenos pães que encerravam dentro de si os bens que tinham sido doados para serem distribuídos entre os cidadãos. Os pães foram divididos entre os cidadãos e, como por milagre, cada um recebeu de volta exatamente o que havia doado, e é este milagre que repetimos anualmente com o costume da Vassilópita. Esta é uma das versões para o costume, existem outras.
Em nossa casa, minha mãe criou um bolo delicioso recheado com frutas cristalizadas, uvas passas e nozes e esta receita já foi parar até num site americano. Hoje, somos minha irmã e eu que preparamos a Vassilópita continuando a tradição da família.
Segue a receita da Dona Sophie para quem quiser experimentar.



Vassilópita

Βασιλόπιτα

Ingredientes:

4 xícaras (chá) de farinha de trigo
2 xícaras (chá) de açúcar
1 xícara (chá) de manteiga (250 gr) à temperatura ambiente
1 ½ xícaras (chá) de leite morno
4 ovos
6 colheres (sopa) rasas de fermento químico em pó
Essência de baunilha
1 xícara (chá) de frutas cristalizadas picadas
1 xícara (chá) de uvas passas
1 xícara (chá) de nozes picadas
1 moeda grande
Forma redonda de 28 cm de diâmetro (de preferência forma de desmontar)

Modo de preparo:

Bata as claras em neve com uma pitada de sal e reserve.
Peneire a farinha com o fermento e reserve.
Bata a manteiga com o açúcar até ficar bem clara e macia e junte as gemas uma a uma.
Ligue o forno a 177 oC (médio baixo).
Misture alternando a farinha e o leite à massa de manteiga.
Junte as frutas cristalizadas, as passas, as nozes e a moeda.
Acrescente um pouco de essência de baunilha.
Misture levemente as claras em neve.
Coloque a massa em forma untada e enfarinhada.
Asse por cerca de 45 min (teste com um palito, principalmente no centro do bolo).
Deixe esfriar por 1 hora e desenforme.
Quando já estiver bem frio, peneire açúcar de confeiteiro na superfície e faça uma cruz de ponta a ponta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tem algum pedido especial? Fale para mim.

Postagens populares

Siga por Email